25 janeiro 2010

A propósito da reportagem: "Filha Roubada"

Parece-me a mim que o movimento evangélico em Portugal começa a sair da casca... Timidamente é verdade... mas começa a notar-se...

Olhando para as reacções generalizadas e transdenominacionais a um ataque ignorante e maldoso de uma peça de mau jornalismo, faz-me pensar que mudanças estão em curso na forma de estar dos cristãos evangelicos em Portugal.
Aliás, o mesmo aconteceu recentemente após a publicação de um certo livro e declarações eivadas de preconceito e radicalismo ateu do seu autor

A mudança mais sensivel, foi que o protesto e a reacção saiu da igreja e dos restrito nucleo local e passou a estar publicitada em sites, blogs e redes sociais, "obrigando" até, os orgãos representativos - como a Aliança Evangélica - a tomadas de posição que chegam aos meios de comunicação social e numa segunda fase (pelo menos, é implicitamente ameaçado) chegará aos tribunais.

A razão tem como origem uma cultura própria da sociedade de hoje, mais disposta a afirmar os seus direitos por força da liberdade de expressão e da democratização da cultura e que naturalmente chegou a crentes de segunda e terceira geração, que provavelmente terão dificuldade em se afirmar pelo evangelismo tradicional de porta em porta, mas que erguem a cabeça e se assumem como cristãos ciosos da sua diferença nas empresas onde trabalham e na internet

A vantagem imediata é que as barreiras de pedra erguidas ciosamente entre as denominações, passam a ser barreiras apenas virtuais que subsistem ainda (e subsistirão concerteza) mas sem o peso, a distancia e a demarcação de outrora

A opinião que tenho sobre este sair da toca e o não têr medo de emitir e discutir as opiniões seja em que palco for é que a sociedade passará a olhar para nós, os cristãos evangélicos, com a seriedade e respeito que é exigido num país verdadeiramente culto e democrático

3 comentários:

Jorge Oliveira disse...

Mais importante do que certas Marchas triunfantes num determinado dia do ano é importante os evangélicos saírem da "sua casca" todos os dias e não se inibirem de defenderem as suas ideias e partilharem Cristo, a esperança da glória.

Abraço.

Hupernikon disse...

Acredito que esta é a forma de evangelismo mais eficaz. Temos que assumir os nossos valores sem medo e esforçarmo-nos para VIVER publicamente aquilo que cremos.

filha disse...

Tontos, fanaticos, cegos do coração