24 julho 2006

Israel e o Conflito no Médio Oriente

Israel é a nação do meu coração: vibro com os seus feitos, as suas vitórias, choro com as suas amarguras e problemas...

Tenho lido muitos artigos de opinião nestes ultimos dias, uns a favor do Libano, outros a favor de Israel; Conversei com um colega de origem libanesa e questionei-me sobre o meu apoio incondicional a Israel

Não há, nem nunca haverá desculpas para o terrorismo, para agressores, para raptores como o Hezbollah, Hamas, Fatah e outros que mais e até hoje Israel mantinha uma politica de auto-defesa: o olho por olho, dente por dente: um terrorista fazia-se explodir matando israelitas, sabia de antemão que a sua casa seria arrasada e os bens familiares confiscados; um israelita era raptado procedia-se a troca de prisioneiros e de seguida a retaliações eficazes e muito localizadas com os danos colaterais de apenas quem se metia - sabendo as consequencias - nos lugares errados

Mas agora Israel deixou de se defender e passou ao ataque e de tal forma que os seus ataques não foram cirurgicos mas indiscriminados tornando-se semelhante aos seus agressores... e isto doi-me, torna esta guerra suja, sem honra e sem resultados práticos (os soldados raptados ainda não foram recuperados!)

O meu apoio a Israel como nação manter-se-á sempre! Mas não neste tipo de guerra indiscriminada.
Apoiarei sempre a Israel na sua autodeterminação e autodefesa! Mas não nos ataques desenfreados.
Apoiarei Israel sempre na protecção dos seus cidadãos! Mas não no desrespeito pelos cidadãos de outrem

3 comentários:

jc disse...

Eu percebo o que dizes... Entendo-te! Sei onde queres chegar e compreendo o teu sentimento.

Mas eu, desculpa-me, tu e todos os que vão ler isto e vão ficar escandalizados, eu não defendo Israel! Obviamente que também não defendo os outros... Acho que esta guerra não tem sentido… Nunca teve…

Eu olho para a bíblia e vejo um povo que teve tudo de Deus e só soube virar-Lhe as costas… “Se não é como queremos, mais vale não ter nada!” Vejo isso na saída do Egipto por exemplo… Povo inconformado e egoísta, com a mania de que era superior… Este povo negou e renegou a Deus… Renegou a Jesus, o Filho Amado de Deus!

O que vejo, ao longo da história, é que eles sempre foram oprimidos… Veja-se o holocausto… Eles foram dizimados! E mesmo assim não compreenderam que era Deus a dar-lhes mais uma oportunidade… Não sei se têm noção disto, mas quando um judeu se torna cristão, a família renega-o! Para mim isso é escandaloso… Apesar dos judeus terem sido o Povo de Deus, o povo que Deus escolheu para trazer o Seu Filho… Que honra… E eles?! Rejeitaram-no… Ainda rejeitam, e não querem saber Dele. Abominável…

Costuma-se dizer, “quem semeia ventos colhe tempestades”; nada mais certo…

Tudo isto remonta a Ismael e a Isaque, os filhos de Abraão! O filho que era bastardo e o filho que era promessa!

Toda esta situação advém de sentimento de traição! O filho de escrava e o filho promessa de Deus! O que a precipitação de um homem temente a Deus pode fazer... Uns séculos depois e ainda continuamos a sentir...

Para culminar só me apetece expressar o seguinte: estamos a entrar (se calhar já estamos) nas dores! O que Deus nos predisse está iminente... Não tarda nada está a aparecer o "bem-falante" que vai trazer a "paz"! Está na altura de deixarmos de brincar as igrejas e mostrar-mos as nossas convicções profundas em Deus!!!

Ego ipse disse...

A razão de ser de Israel está não em que Israel TEVE tudo de Deus, mas em que Israel TEM tudo de Deus; Porque ainda que Israel se tenha desviado e seja infiel, Deus permanece fiel às Suas promessas; Israel é o povo de Deus e logo é o meu povo tambem

HuperNikon disse...

concordo plenamente contigo