09 fevereiro 2007

Aborto? Não! - Argumentos (4)


O caso Espanhol é revelador de como a despenalização leva à liberalização sendo que as razões apresentadas pelos defensores do sim (não levar mulheres a julgamento, diminuição de aborto clandestino, e que o aborto dado ser penalizador para a mulher é apenas realizado em casos excepcionais)

Em Espanha com a despenalização em 1985 o numero de abortos tem crescido a uma média de 5 a 8% ao ano, chegando-se à impressionante realidade de que 1 em cada 6 mulheres que engravidam realizam aborto, sendo o aborto a maior causa de morte em Espanha (Um numero horrível de 91684 em 2005)

Em Espanha com a despenalização em 1985 as mulheres, médicos e parteiras continuam a ser levadas a julgamento uma vez que muitas abortam já fora do permitido legalmente, realizando-se assim o chamado aborto clandestino (recentemente em Algeciras 4 médicos foram condenados)

Em Espanha com a despenalização em 1985 o Aborto tornou-se um negocio, sendo uma fonte de riqueza para clínicas privadas a enriquecer a custa de uma realidade triste não trazendo nenhuma mais valia (antes pelo contrário para as populações)

E estamos nós agora em pleno século 21 a colocar em causa a integridade da vida humana, sem aprender com os erros dos outros, caindo nas mesmas falácias de um lobbie puramente económico… Voto portanto NÃO!!!